Como calcular o índice de inadimplência e reduzir prejuízos da empresa



Crise econômica, salários atrasados, desemprego e até a falta de educação financeira.


Os motivos que levam à inadimplência, em geral, são externos ao relacionamento entre a empresa e o cliente. O que não significa que empresas devem fechar os olhos e aguardar que os efeitos negativos da inadimplência.


A inadimplência é uma questão grave, que afeta diretamente a saúde financeira de um negócio. Nos casos mais críticos, a falta de pagamento pode levar ao fechamento das portas. Por isso, é essencial tomar medidas para evitar a falta de pagamentos, além de monitorar o índice de inadimplência.


Para empresas que não sabem como calcular o índice de inadimplência e como usar essa métrica a favor do seu negócio, preparamos esse post. Confira!


Como calcular o índice de inadimplência


O índice de inadimplência corresponde ao percentual de operações com atraso de mais de 90 dias, considerando todas as vendas a prazo. Calcular o índice de inadimplência não é nenhum bicho de sete cabeças. Para isso, basta somar os créditos e, em seguida, dividir pelo valor total de todas as vendas a prazo. Por fim, multiplique tudo por 100.


Assim, se a sua empresa tem um total de vendas não recebidas no valor de R$ 5.200,00 em um total de vendas realizadas de R$ 70.000,00, dividindo o primeiro valor pelo segundo, você chegará ao número 0,0742. Multiplicando por 100, você chegará a um índice de inadimplência de 7,42%.

Os créditos que devem ser considerados para o cálculo são aqueles que contam com mais de 90 dias e menos de 180 dias de atraso. Dependendo do faturamento do seu negócio, no entanto, esse parâmetro pode ser alterado.


O cálculo sempre deve considerar um período próprio, já que nem todas as empresas contam com um período de recebimento igual. Tudo vai depender do modelo de faturamento adotado pelo seu negócio.


Interpretando o índice de inadimplência


O índice de inadimplência possui vários significados e pode trazer bons insights para gestores, direcionando seu processo de tomada de decisões.


Um alto índice de inadimplência, por exemplo, significa que o empreendedor precisa tomar algumas medidas para evitar que o problema se transforme em uma bola de neve. Sempre que o gestor se depara com percentuais altos, vale a pena considerar a adoção de determinadas medidas, conforme vamos explicar melhor.


Inadimplência alta: saiba o que fazer?


Altos índices de inadimplência indicam que o gestor deve tomar algumas medidas. Algumas delas fazem com que ele impeça que o problema se agrave, trazendo consequências ainda mais negativas para o seu negócio. Se o seu índice de inadimplência anda alto, considere montar um plano de ação contendo algumas dessas medidas.


1- Reveja o seu planejamento financeiro


Seu índice de inadimplência anda alto? Então, é melhor checar para onde os recursos da sua empresa andam indo. Você tinha projetos de fazer um investimento ou aumentar seu capital de giro? Está na hora de rever isso. Da mesma forma, verifique quais são os cortes que podem ser feitos a fim de evitar dívidas com fornecedores e atrasos de pagamentos.


2- Analise a possibilidade de um empréstimo


Empréstimos nem sempre são a melhor saída, já que eles vêm acompanhados de juros. No entanto, sempre é possível negociar. Avalie com o banco ou a instituição de crédito se é possível negociar as taxas de juros. Da mesma forma, se o empréstimo for imprescindível, considere sempre o menor número de parcelas possível.

Um empréstimo sempre deve ser considerado quando o capital de giro da empresa estiver em risco.


Lembre-se, o capital de giro é o coração do seu negócio. Caso ele seja comprometido, a falência dos demais “órgãos” e a “morte” do seu negócio costumam acontecer mais rápido do que se espera.


Aconteça o que acontecer, não comprometa o seu capital de giro.


3- Renegocie contratos e prazos com fornecedores


Fornecedores são uma parte importante para o funcionamento de qualquer negócio. Portanto, em um cenário onde a inadimplência começa a comprometer a empresa, seja proativo e procure renegociar os contratos.


Lembre-se que deixar de pagar os fornecedores não compromete apenas o seu negócio, mas todo o relacionamento com empresas que podem ser vitais para você. Assim, não vale a pena esperar. Renegocie, antes que seja tarde.


4- Tenha um plano de ação para recuperar o crédito


Diante de um alto índice de inadimplência, muitas empresas se desesperam pois acreditam que a única saída é contratar uma empresa de cobrança ou mesmo um escritório de advocacia para ajuizar ações contra os devedores.


Porém hoje, as empresas contam com outras ferramentas que permitem negociar dívidas de forma mais simples e rápida. As plataformas de resolução de conflitos online permitem que pagamentos em aberto sejam resolvidos de forma bastante prática. Através dessa ferramenta, as empresas podem se aproximar dos devedores, além de formalizar o acordo de forma totalmente automatizada.


Além de ser uma alternativa mais prática e efetiva, esse tipo de abordagem costuma preservar o relacionamento com clientes. Até porque muitos clientes não  criam dívidas de má-fé.


A mediação, utilizada nesse tipo de plataforma, é um método de resolução de conflitos que promove o diálogo e auxilia na recuperação do credito sem que haja a necessidade do ajuizamento de ações e até o protesto de títulos.


A inadimplência é um problema grave pois pode comprometer toda a operação de um negócio. Monitorar o índice de inadimplência significa assegurar a saúde financeira da sua empresa, garantindo assim a sustentabilidade da sua empresa.


Diante do problema, sempre cabe ao gestor adotar uma postura proativa evitando assim que o problema se agrave.


Você não sabe como anda seu índice de inadimplência? Quer ter informações relevantes para melhorar a tomada de decisão? Nós temos a solução ideal para você.





15 visualizações0 comentário